Concentração em Defesa do Património Nacional – Estátua do Marechal Gomes da Costa

Decorreu ontem, 5 de Maio, pelas 15h, uma concentração em defesa do património nacional, junto à estátua do marechal Gomes da Costa, localizada em Braga.

Esta concentração foi motivada pelo ataque cobarde, na noite de 24 para 25 de Abril, à coberta da noite, de alguns “activistas” do Bloco de Esquerda a este monumento, cobrindo-o com um manto vermelho. Posteriormente, na Assembleia Municipal de 30 de Abril, os vereadores desta força política, António Lima e Alexandra Vieira, conseguiram fazer aprovar uma recomendação no sentido de todos os monumentos e estátuas tenham uma “legenda validada cientificamente por historiadores”. É o abrir caminho para a censura, por forma a que aqueles que ocupam temporariamente o poder possam reescrever e reinventar a história, a seu bel-prazer e consoante as suas conveniências.

Jamais iremos pactuar com esta tentativa de fazer “tábua-rasa” da nossa história e de eliminação dos nossos referenciais identitários.

No dia 5 de Outubro de 2017, face à estátua do Padre António Vieira, iniciámos este combate contra estas forças anti-nacionais que, imitando alguns maus exemplos que vêm de fora, lançaram-se neste projecto de destruição dos nossos referenciais históricos. É uma luta que nos pertence e da qual não desistimos. Assim sendo, face ao acontecido na noite de 24.04, lançámos o repto para esta acção, à qual se juntaram outras organizações cívicas e cidadãos anónimos, que não quiseram deixar de dar o seu apoio a esta causa.

O nosso representante a norte, Francisco Pereira, proferiu um discurso que arrebatou os presentes.

Em seguida, deixamos algumas fotos do evento, bem como o comunicado que lançámos dias antes na nossa página oficial de Facebook.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

COMUNICADO DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESES PRIMEIRO

No dia 24 de Abril, a coberto da noite, alguns “activistas” do Bloco de Esquerda profanaram a estátua do Marechal Gomes da Costa, que há mais de 50 anos embeleza a Praça Conde de Agrolongo, em Braga. Estes elementos de extrema-esquerda afirmaram que tal acção visa “desafiar a pensar e levar os bracarenses a perceberem quem foi aquela personagem”, que, de acordo com os mesmos, representa a implantação do “fascismo” em Portugal.
À semelhança da tentativa de vandalização da estátua do P. António Vieira, frustrada por associados da Portugueses Primeiro, entre outros jovens identitários, a esquerda dirigiu agora a sua sanha destrutiva para o monumento que homenageia o herói nacional que comandou o Corpo Expedicionário Português na I Guerra Mundial. O Marechal Gomes da Costa foi também um dos protagonistas da Revolução de 28 de Maio de 1926, a qual saiu de Braga e pôs termo à balbúrdia governativa da Primeira República, em que imperavam os atentados à bomba, os assassinatos de dirigentes políticos, a repressão para com os trabalhadores que aderiam a greves, as perseguições à igreja e aos católicos em geral.
Mais a mais, a relação do Marechal Gomes da Costa com a ditadura militar durou somente um mês, uma vez que foi deposto pelo General Óscar Carmona.

A estátua do Marechal Gomes da Costa foi erigida em 1966 e trata-se de uma justa homenagem do povo de Braga a um ilustre português, fazendo este monumento parte do património histórico da cidade e do país.
Perante isto, a Associação Portugueses Primeiro denuncia a acção do Bloco de Esquerda como um atentado ao património bracarense em particular e dos portugueses em geral, património que não pode ser alvo de grosseiras manipulações ideológicas de uma esquerda que convive mal com o nosso passado e da História quer fazer tábua rasa, à semelhança dos inaceitáveis actos protagonizados pelos talibans no Afeganistão ou pelo Daesh no Iraque e Síria.
Como portugueses não nos envergonhamos do nosso passado histórico, antes pelo contrário, desejamos preservar os nossos bonitos monumentos e o nosso riquíssimo património cultural. Por essa razão no próximo dia 5 de Maio, pelas 15h, representantes da Associação de Iniciativa Cívica Portugueses Primeiro irão concentrar-se junto da estátua do egrégio Marechal Gomes da Costa, na qual irão participar outras organizações patrióticas.

Portugueses Primeiro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *